Associação Internacional Maylê Sara Kalí

Defesa dos Direitos Humanos do Povo Romani (ciganos) do Brasil

Quem Somos

     

AMSK/Brasil organização sem fins lucrativos com sede em Brasília, Distrito Federal, foi fundada em janeiro de 2009 e tem como missão propagar a história, tradições e costumes do povo romani do Brasil em defesa dos direitos humanos. Inclui, dentre seus objetivos, a promoção de ações de enfrentamento à discriminação étnica e racial contra os povos romani no Brasil. Em razão da grande invisiblidade que caracteriza esta parcela da população brasileira e o desconhecimento sobre suas especificidades, tradições, necessidades, condições de vida e obstáculos enfrentados no acesso a direitos, a AMSK/Brasil tem se dedicado ao levantamento, sistematização e ampla divulgação de informações sobre o povo romani no Brasil. Tem atuado de forma direta no nível nacional, porém sempre buscando estreitar o diálogo com organizações e lideranças do povo romani de outros países - com especial destaque para Colômbia, Espanha e Portugal - com o objetivo de contribuir para troca de conhecimentos, experiências e boas práticas em termos de organização e de construção de políticas públicas, programas e ações.

A Associação Internacional Maylê Sara Kalí (AMSK/Brasil) não discute a riqueza, luta contra a pobreza para que ela não abra seus ramos e atinja o seu esplendor. O que nos incomoda é o empobrecimento, o enquadramento da cultura afundando num misticismo cada vez mais irresponsável e danoso. Não somos as guardiãs da cultura e nem fazemos questão de ser. Apenas fornecemos linha e agulha para que a grande colcha de retalhos não deixe de ser costurada.

Quando a criação, a vontade de realizar, de ser e de sonhar morrem, perdemos mais do que imaginamos. Perdemos parte de nós mesmas.

Como se mata um povo? Destruindo sua herança, subjugando sua cultura, fingindo não ver, banalizando suas necessidades primárias, matando suas referências.

Nós nos juntamos às ilustres desconhecidas , mulheres comuns, como tantas que encontramos no caminho. Sara é mais uma santa desconhecida de cada dia, que pelo simples fato de compreender que era preciso fazer algo, fez.

Ela fez e faz parte de um seleto grupo de pessoas que mudaram o rumo da história. Abandonada pela igreja que santifica e adorada por toda uma nação, Sara resiste ao tempo, às guerras, às tiranias, à evolução alucinada e ao desrespeito. Sua proposta continua clara e objetiva: sobreviver física e emocionalmente, a fim de respeitar e ser respeitado. Sara se ergue como esteio de um povo, amiga e companheira em primeiro lugar, e assim voltamos ao velho tema: o reconhecimento entre nós mesmos, entre nós mesmas. O tempo de escutar, de ajudar, de compartilhar e de dividir, saber ser um no meio da multidão. Usar todos os sentidos que recebemos de graça e que fazem parte das características da humanidade.

Mais que santificada, Sara - uma mulher comum, dotada de senso político apurado, em pleno século I. Sara Kalí se ergue em meio aos mitos, contos, folclore e superstições permanecendo de pé. Marco de um povo, esteio de uma nação, amiga e companheira de todos os dias, horas e situações.

Não se combate a fome, a miséria, a pobreza, o descaso, a depressão de um dia para o outro, mas é preciso que se escolha um dia para deixar de se calar e começar a andar. Com Sara, ando Sara.

Fundadoras da AMSK/Brasil

Somos Mulheres, somos Fortes e temos Princípios.

Dona Fia Vidal

Presidenta Honorária, atuante na defesa dos direitos humanos, no combate a pobreza e a miséria.

Elisa Costa

Presidenta, atuante na defesa dos direitos humanos, no combate a pobreza e a miséria.

Lucimara Cavalcante

Coordenadora do Projeto Kalinka e Danças Romani. Atuante na produção cultural e empreendedorismo criativo.

Marcia Vasconcelos

Assessora Técnica. Msc Sociologia, e especialista em elaboração e gestão de projetos.

Amigos da AMSK/Brasil

Cooperadores Voluntários

As ações da AMSK/Brasil conta com a participação voluntária de pessoas atuantes na ajuda humanitária e dignidade humana. Defensores dos direitos humanos.

Alexsandro Castilho

Rom Kaldarash. Líder comunitário. Defensor dos direitos humanos dos povos romani do Brasil, educador popular, pesquisador e historiador da cultura romani. Presidente da Associação Internacional da Cultura Romani do Brasil (AICROM).

Marcia Castilho

Romi Kaldarash. Defensora dos direitos humanos dos povos romani do Brasil, educadora popular da cultura Rom Kaldarash. Atuante na ajuda humanitária e promoção do exercício da cidadania.

Zanata Dantas

Calon. Líder comunitário, defensor dos direitos humanos dos povos romani do Brasil.

Carlos Amaral

Calon. Líder comunitário. Defensor dos direitos humanos dos povos romani do Brasil, educador popular da cultura romani.

Anne Kellen

Romi Lovara. Educadora popular das expressões culturais dos povos romani. Professora de danças romani, e produtora cultural. Coordenadora do Grupo Leshjae Kumpanja. Defensora dos direitos humanos dos povos romani do Brasil.

José Ruiter

Rom Lovara. Educador popular das expressões culturais dos povos romani e produtor cultural. Defensor dos direitos humanos dos povos romani do Brasil.

Edison Rocchi e Jandira Rocchi

Rom Boyasha. Líder comunitário. Defensor dos direitos humanos dos povos romani do Brasil.

Elisabete Martinho

Romi Kaldarash. Psicopedagoga, especialista em desenvolvimento humano. Defensora dos direitos humanos dos direitos da pessoa com deficiência.

Orlando Michel

Rom Kaldarash. Líder comunitário. Defensor dos direitos humanos dos povos romani do Brasil.

Nélio Jancovithe

Rom Kaldarash. Defensor dos direitos humanos dos povos romani, educador popular das expressões culturais dos Rom Kaldarash, artesão de tacho e alambique de cobre.

José Ribeiro Guimarães

Msc Estudos Populacionais e Pesquisas Sociais, e Especialista em População e Desenvolvimento Sustentável. Acesse o  Currículo Lattes.

Cristiane Foly

Pedagoga e Especialista em Coordenação Pedagógica. Professora de ensino fundamental há 27 anos. Realizou diversos projetos e publicações, entre elas: Projetos de Educação no Portal Educacional-Positivo (construção de jogos matemáticos); Projeto Música Popular Brasileira para crianças; Projeto Literatura de Cordel na sala de aula; Projeto “O Brasil na Segunda Guerra Mundial”; Artigo “O Brasil na Segunda Guerra Mundial”, Revista Família Vinci nº 57, p. 16 a 19.

Jamilly Rodrigues da Cunha

Msc Antropologia. Desenvolve pesquisas de campo e bibliográficas sobre os seguintes temas: Comunidades ciganas, etnicidade, territorialidade, identidade, políticas públicas, entre outros. Acesse o  Curríluco Lattes.

Fernanda Barbosa

Assistente social. Defensora dos direitos humanos e na promoção do exercício da cidadania.

Ariadyne ACunha

Entusiasta das políticas de juventude, graduanda em Relações Internacionais pela Universidade Anhembi Morumbi-SP, co-fundadora da Coalisão de Jovens Brasileiros pelo pós-2015, foi Coordenadora de Assuntos Internacionais pela ONG Vidas Recicladas, representante de jovens e crianças Brasileiros na ONU, coordenadora da América Latina e Caribe para engajamento de jovens na ONU, voluntaria há mais de 4 anos no âmbito da infância principalmente com crianças vulneráveis (refugiadas, em abrigos, em situação de rua). Atualmente é consultora de participação,advocacy, engajamento e Incidência na ONG Aldeias Infantis SOS Brasil.

Antonio Sergio de Freitas Ferreira

Msc Ciências da Saúde (Análise do processo de comunicação nas práticas dos Agentes Comunitários de Saúde no Distrito Federal.2012), e Especialista em Comunicação e Saúde. Acesse o  Currículo Lattes.

Nanci Maria de França

PhD Educação Física. Tem experiência na área de Educação Física, com ênfase em saúde e qualidade de vida, atuando principalmente nos seguintes temas: estilo de vida de escolares, nivel de atividade física, psicomotricidade, processos cognitivos e exercício, densidade mineral óssea e exercicio, sindrome metabólica e exercício, crescimento e desenvolvimento humano. Acesse o  Currículo Lattes.

Delvair Montagner

Doutora em Antopologia Social. Como pesquisadora e documentarista etnográfica produziu vários relatórios e artigos, dois livros antropológicos com a temática indígena, e participou na produção de 34 documentários.

Paulo Pacini

Especialista em Administração, Contabilidade, e Gestão de Recursos Humanos.

Flavio José de Oliveira Silva

Msc Educação. Especialista em Formação de Professores numa Perspectiva Interdisciplinar. Professor da rede pública de ensino, atuando principalmente nos seguintes temas: Inclusão, Didática, Diversidade, Cultura e Ensino, Educação em Direitos Humanos. Acesse o  Currículo Lattes.